sexta-feira, 24 de julho de 2015

Série Undeniable 01 (Madeline Sheehan)


" Uma inegável conexão que transcende a barreira do tempo. Momentos inesquecíveis. Amor e dor, tudo misturado.
Eu tinha cinco anos quando conheci Deus, ele na época tinha vinte e três e era o dia de visita na Ilha Riker. Meu pai, Damon Foz ou "Pregador", era o então presidente do infame clube de motoqueiros "Silver Demon's" no East Village, Nova Iorque e cumpria uma sentença de cinco anos por assalto a mão armada, seguido de agressão. Não era a primeira vez que meu pai ia para a prisão e não seria a última. O Clube de Motoqueiros "Silver Demon's" era um notório grupo de criminosos que viviam sob o código da rua e davam à sociedade moderna e a tudo o que implicada um grande Foda-se. Nunca esquecerei o dia em que Eva chegou saltando na minha fodida vida, balançando suas tranças, cantando minha Janis, usando all star e compartilhando seus amendoins. Roubou-me totalmente a decência que tinha, que não era muita, mas eu peguei e foi desde então...
O resto é história...”

¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•

01. Undeniable – Eva e Deuce
02. Unbeautifully – Danny e Ripper
03.Unattainable – Tegen e Cage
04. Unbeloved– Dorothy e Jace
05. Undeserving– Deborah e Preacher
06.Undying – não lançado


Primeira frase do livro: “Eu tinha cinco anos quando conheci Deuce, ele na época tinha vinte e três, e era o dia de visita na prisão da Ilha Riker“.

Comecei a ler esse livro por indicação e devo dizer que, sendo meu primeiro contato com a autora, gostei muito da forma como ela escreve. Sobre o enredo, tenho minhas dúvidas. Na verdade gostei, mas me senti incomodada em algumas passagens do livro que, devo dizer, é para quem tem estômago. Não é um romance água com açúcar, certo?

A série Undeniable mostra a vida de grupos de motoqueiros. Diferente dos motoqueiros da Kristen Ashley, os da Sheehan não são heróis, mocinhos no sentido mais romântico. Os clubes dos quais eles fazem parte estão ligados a drogas, tráfico, assassinatos ... ao submundo do crime de maneira geral.

Esse primeiro livro nos conta a história de Eva e Deuce. Há uma diferença grande de idade entre eles - dezoito anos - e, como eles se conheceram quando Eva tinha apenas cinco, ele vira uma espécie de ídolo/modelo inalcançável para ela, que foi crescendo com uma imagem platônica do que ela achava/esperava que ele fosse. Deu pra entender? À medida em que ela crescia, ele começou a reparar nela enquanto mulher e eles acabaram se envolvendo. OK, meu primeiro desconforto com o livro começa aqui, mas vai passando.

Há um outro personagem importante para a história que é o Frankie, irmão adotivo da Eva, mais velho e louco (além de louco por ela). Quando eu digo louco, estou dizendo literalmente. Ele cria uma relação de dependência doentia com ela, que vai impactar diversos momentos da história. Meu segundo desconforto é exatamente a relação deles dois.

Mais uma vez, a história não é suave, não é “flores e corações“ (lembram de "A Carícia do Vento"?). Tem muito sofrimento, raiva, traição, emoção e também momentos bons, é claro. Se eu gostei? Não sei dizer, vou ficar em cima do muro, mas eu gosto quando um livro me tira da minha zona de conforto e posso afirmar que lerei o próximo livro da série!

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Série Dream Man 02 - Homem Selvagem (Kristen Ashley)



"Enquanto enchia a vitrine de sua confeitaria, o sino sobre a porta soou e Tessa O’hara olhou para cima e viu o homem dos seus sonhos. Em trinta segundos ele a chamou para tomar uma cerveja. Trinta segundos depois, ela disse sim. Mas após quatro meses se apaixonando, ela descobriu que ele era um agente disfarçado da DEA investigando a possibilidade dela estar envolvida no negócio do mundo das drogas do seu ex-marido. Obviamente, Tess decide que tudo está terminado. Mas o agente da DEA Brock Lucas não concorda. Ele é um homem em missão que é realmente comprometido com seu trabalho, ele passou anos no submundo de Denver, com a escória da sociedade. E passar quatro meses com Tess, que era tão doce quanto os cupcakes que ela fazia, ele seriamente aproveitou o seu trabalho”.

¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•

01. Homem Misterioso – Gwen e Hawk.
02. Homem Selvagem – Tess e Brock.
03. Homem da Lei – Mara e Mitch.
04. Homem da Motocicleta – Tyra e Tack.


Primeira frase do livro: “― Oh meu Deus! ― eu suspirei enquanto gozava ... minha mente se apagando, cada célula do meu corpo se apertando de felicidade, como eu nunca tinha sentido antes, correndo através de mim”.

Que historinha deliciosa! Terminei o livro em três dias e morrendo de amores pelo Brock!


Primeiro fato: a gente já conhece o Brock do livro passado. Lembram quando a Gwen foi sequestrada e um dos sequestradores não permitia que ninguém machucasse a mocinha? Exato! Nosso Brock era aquele policial disfarçado, que namorava a Darla (argh!). Pois vejam só, Tess e Brock se envolvem exatamente por conta de outra investigação do departamento de polícia onde ele trabalha. Enquanto nosso mocinho assume uma nova identidade para que investigar se a Tess está envolvida nos negócios sujos do ex-marido dela, eles acabam se envolvendo romanticamente. Claro que quando ela descobre fica furiosa e termina tudo, mas ... tempos depois ele vai atrás dela, se explica e eles reatam.

Os dois se dão muito bem e são uns fofos juntos, mas ela tem um ex-marido perigoso e ele tem uma ex-mulher que é uma vaca manipuladora! Sério! E como todo mundo sabe, “ex” bom é “ex” longe (e embarangado!). A Olívia faz de tudo para colocar os filhos do Brock contra a Tess e para transformar a vida deles em um inferno... e os problemas na vida dos nossos mocinhos são basicamente causados por ela.

Tess enfrentou sérios problemas no passado e esses mesmos problemas foram vivenciados por pessoas próximas ao Brock, o que faz com que eles desenvolvam uma cumplicidade muito grande. São muito fofos juntos (eu já disse isso?!? J ) A família do Brock é uma diversão à parte, muitos irmãos, muitos sobrinhos, todos participando – de alguma forma – da história e a deixando mais divertida. E por falar em divertida, não posso esquecer da Elvira. Gente, que figura! Ela apareceu em Mistery Man, como a assistente do Hawk, mas também deu as caras nessa história (e eu acho que ela vai continuar aparecendo nos próximos livros!).


Boa leitura!

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Lembrança de Nós Dois - Judith McNaught


"Linda e bem-sucedida, Diana Foster é editora da revista Viver Bem, verdadeira vitrina do sucesso e da perfeição de sua família e uma das mais influentes da cidade de Houston. Por isso, quando o noivo de Diana a abandona, o escândalo é geral. Embora ferida, ela sabe que precisa manter as aparências e comparecer altivamente ao tradicional Baile da Orquídea Branca, onde se reúne a rica e maledicente sociedade texana. Entre os convidados está Cole Harrison, ex-empregado de uma rica família que conseguiu juntar incalculável fortuna e agora precisa de uma esposa impecável... Aproveitando-se da fragilidade de Diana, Cole consegue fazê-la aceitar um acordo impensável: casar-se com ele, restaurando sua imagem de mulher abandonada e ajudando-o num plano mirabolante. O trato, porém, não sai como o esperado. A avassaladora paixão que nasce entre os dois mudará para sempre o rumo dos acontecimentos.”

¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•


Primeira frase do livro: “ - Diana, você está acordada?“

Owwwwwwwwwww. É assim que eu vou começar a resenha de hoje, porque a história é muito fofa! Os livros da Judith McNaugth são os melhores (quase) sempre! Os personagens são tão bem construídos que a gente sente uma intimidade e uma simpatia grande com eles. É como se a mocinha fosse minha melhor amiga e eu tivesse compartilhando todos os dramas, todas as dúvidas com ela.

Cole e Diana se conhecem desde a adolescência. Ela veio de uma família rica e tradicional (mas sem afetação!) e ele limpava o estábulo da casa de uma família amiga da de Diana, para custear a faculdade. OK, até aí super clichê, mas é tão bem escrito ...

Eles ficam amigos, nutrem uma paixonite de leve um pelo outro (nunca concretizada), mas acabam perdendo o contato e só se reencontram 15 anos depois, quando a Diana está passando por um período bastante delicado e o Cole acaba ajudando nossa mocinha e fazendo uma proposta de casamento (de aparências).

A Diana é uma mocinha sem afetação e super decidida, do jeito que a gente gosta, mas o Cole .... ah, o Cole a gente ADORA! Meu número de mocinho, duro, forte, que cria uma máscara de frieza, mas que junto da mocinha fica derretido e apaixonado, mesmo que não transpareça no início. Te desafio a conhecer o Cole e não ficar assim...



Boa leitura!